segunda-feira, 18 de outubro de 2004

Sonífera ilha

Já vai? Não, fica mais... Quer uma massagem? Acho que não... Mas fica aí, deixa eu te olhar. Fica aí quietinho enquanto eu te faço um cafuné... Se você se levantar eu faço cócegas, eu mordo a sua barriga. Isso não é uma ameaça, é apenas uma tentativa desesperada de te ter perto de mim por mais tempo. Não vai funcionar? Como eu vou saber se desistir antes de tentar? Tá bom, entendi: você TEM que ir. Mas quando é que você volta? E se eu não agüentar até lá? Como você pode ter tanta certeza? E se eu te disser que já sinto a tua falta? Mas é verdade. É por isso que não quero te soltar. Vou sentir saudades a partir do momento em que você passar por aquela porta. Não acredita? Mas é verdade! Se eu tiver coragem, te conto uma coisa quando você voltar.

08/07/2004

Nenhum comentário: