quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005

Musicalidade I

Ó cozinheira por que estás tão triste? Mas o que foi que te aconteceu?
Foi a canela que caiu do prato, deu dois suspiros e depois morreu.




- Você é linda.
- Obrigada...
- Nossa, que ânimo. Você deve ouvir isso com freqüência, né.
- Um pouco. Mas são poucas as vezes em que levo os elogios em consideração.
- Por que esse pedantismo?
- Não quero alguém que apenas me diga que sou gata. Quer saber o que é realmente um elogio para mim? Certa vez um namorado meu ficou me encarando por uma meia hora. Só olhando para mim. Eu estava nua e ele olhava apenas para o meu rosto, para os meus olhos. Eu me sentia desconcertada, envergonhada, não estava acostumada a ser encarada daquela maneira, mas gostava mesmo assim. Depois de meia hora sem se mover, sem dizer uma palavra, sem me apalpar ele finalmente me disse que eu tinha um olhar foda. Isso foi suficiente para me arrepiar dos pelos dos pés aos cabelos. Eu me senti elogiada. Não foi uma frase decorada para me agraciar, mas um elogio sincero que veio no devido momento. Eu não quero alguém que diga que me ama por conveniência, mas alguém que o diga quando sentir essas palavras explodindo em sua boca. Mas nem isso me é suficiente. Eu preciso de alguém que eu queira e que me queira da mesma maneira. E isso não é fácil.

Nenhum comentário: