sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Declaração (de desamor) a um canalha

Monstro de duas cabeças, múltiplas personalidades. Tal qual a hidra, corta-se uma e encontra logo outra para substituí-la. Narciso deturpado, que esconde seu egocentrismo por trás da máscara da baixa auto-estima. Vil manipulador que por intermédio da arte aproveita-se dos seus dotes – talvez os únicos que possua – para alcançar seus propósitos impróprios. Besta fera enganadora que conquista a tal ponto que mesmo te odiando é impossível não te querer bem. Presença contaminadora da qual é impossível desfazer-se sem muito esforço, mas que se desfaz. E quando vai embora o amor e vai embora o ódio, resta apenas o nada.

9 comentários:

Samuel Gois disse...

espero que uma mulher puta comigo faça algo desse tipo kkk

Thaïs disse...

O jeito é começar a deixá-las putas...

lcss disse...

tá porra!
amei

Thaïs disse...

Eu também, ehuehuehuehuehueh ;x

p. disse...

eita voadora no mei dos peito!

André disse...

É por isso que eu sou teu fã irmã!
Pq vc, assim como eu, quando está inspirada 'se dedica'...

Parabéns Ariano, aplausos!!!

Thaïs disse...

Ou, brigada irmão ;}
;**

Poliana disse...

eu já disse que achei mt foda!
então...
;)

Laércio disse...

mesmo sem ser o alvo da declaração, a cabeça sentiu a pressão! Muito bom mesmo!