domingo, 10 de abril de 2005

- Oi.
- Oi. E aí, tá rica?
- Ham?? Rica? Ô. Hieheihieheiheihei.
- Ehuehueheuheueh.
- Já tenho dinheiro pro ônibus. Quero trabalhar, la la la la. Quer dizer, querer não quero muito. Heheheheheh.
- Entendo. Você quer é o dinheiro.
- Queria acordar e ganhar 50 reais, só por acordar.
- Eu também quero. Hehehehehe.
- Vamos falar pro tio Lula. Ehiehiehiehiehie. Um estímulo pra nós estudarmos.
- ... Porra. As latinhas de cerveja estão muito pesadas.
- Vai beber?
- Terminei uma agora.
- Sozinha?
- É.
- Aff. Você não vai fazer festa esse ano?
- Eu não. Meu pai ligou pra falar comigo, pra combinar alguma coisa amanhã... eu fiquei me controlando pra não chorar no telefone. Não sei exatamente porque, mas meu aniversário me deixou triste. Isso nunca tinha me acontecido.
- Sei como é... Fiquei muito triste no meu aniversário que passei em Campina Grande, me controlando o dia todo pra não chorar... é horrível. Mas nunca mais vou deixar acontecer, até porque meus aniversários são sempre meio vazios... Mas pra você deve estar sendo estranho. Mas fica assim não, você tem dezenove anos e eu dezoito... Sabe que eu acho que todo mundo aqui no Rio me acha maluca demais? É como se todo mundo me criticasse de um jeito ou de outro.
- Afe... Eu tenho andado mais estranha que o normal.
- É engraçado, porque parece que aqui as pessoas são mais provincianas do que aí. Mas acho que é só questão de não ter ainda conhecido as pessoas certas. Por quê?
- Acho engraçado imaginar que o povo deve olhar pra mim e achar que eu tenho algum problema mental.
- Eiehieheiheiehiehiehiehie. Por que olhariam assim?
- Porque eu tenho agido meio... debilmente. Sei lá... Acho interessante ficar olhando pro teto... Muitas vezes mais interessante que certas aulas. Não fico olhando pra luz porque fode meus olhos... Bah, não tem como explicar.
- Eu te endendo. Estamos tendo as mesmas reações, só que distantes uma da outra. Duas perdidas.
- Nossa... Somos almas gêmeas!
- Eu também ando assim, meio débil, sempre fui né, mas agora mais. Acho que somos, eheiheiheiheiehie.
- Heuehuehueh.
- Que não conseguem viver naturalmente longe, eu pelo menos ando meio sem elo comigo mesma, com minha vida, meu passado, minha história... É como se nada tivesse existido.
- Eu imagino.
- É horrível não ter ninguém pra dividir, pra lembrar, pra rir das merdas...
- Também ando meio perdida... Nem com Luciana e Kelly tenho andado mais... Tudo é tãaao estranho ao meu redor...
- Ao meu também, hehehehe... Parece que tô no lugar errado, na hora errada SEMPRE. Antes eu achava engraçada minha leseira, agora não acho mais.
- Ehehehehe.
- Fico me sentindo mal com cada coisa que faço, como se todo mundo estivesse me julgando.
- Poxa... Eu tenho dançado com bonecas e cachorras.
- Hehehehehe. Coitada da MaDona. Mas isso vai passar. Deve passar. Sempre passa, né? Já passei por coisas piores em Campina e tudo passou e voltou a ser bom.
- Ela gosta.
- Deve ser necessário, é o que dizem os mais velhos, ho ho ho. Gosta? Ela deve ficar tonta, ehiehiehie.
- Hehehehehehe. Ela fica doidinha. É tão meiga... Ainda bem que tenho ela pra me alegrar mais um pouco. Ainda tenho que tomar banho. A última vez foi sexta-feira. Tô com a escova no cabelo desde quinta-feira.
- Hahahahahaha.
- Já estou sentindo os piolhos nascerem.
- Tá mal, hein?
- AHuHAuHauHauHauHAUh.
- Minha mãe disse que você tá linda.
- Ela ainda não tinha me visto de cabelo curto.
- Hihihihi.
- Disse que antes você tava feinha, mas agora... hohohohoho, briiiiiincando, pelamordedeus, brincando! Amigo, amigo, ehehehehehehehe.
- Já te contei que descolori as pontas, né?
- Contou. Queria fotos...
- Quando tirar te mostro. Tirar que é o "pobrema", hehehe.
- Ehieheiheiehiehie. Manda K ir aí pra tirar. É teu aniversário, afinal, ehehehehe.
- Euehuehueheuheuhe. Será...
- Se tu não mandar eu mando, ho ho ho.
- Afe. Eu vejo se tiro alguma na casa de Angélica.
- Você vai lá?
- De vez em quando. Tenho visto mais ela e Luísa nesses últimos dias.
- Eduardo salvou Angélica da clausura, ehehehhe.
- Heuehuehueheuhe, é verdade... Meu joelho tá doendo. Acho que é de ficar sentada nessa cadeira...
- Ehehehhehehe. Meu joelho não dói de ficar sentada. Aliás, meu joelho é a única coisa que não dói... Queria um gravador de CD... Queria tanto.
- É bem útil.
- Ou melhor, queria um iPod. Ia ficar amarradona ouvindo música no trabalho, no ônibus, na aula, em todo momento. Ia fingir que estava prestando atenção nas merdas burguesas dos outros. Ia rir sem fingir... Ia ser ótimo.
- Heuheuheuheuhe. iPod é um MP3 player, né?
- Exato.
- Também queria...
- Deve ser muito caro, hieheiheiehiehie.
- Sim, meu pai vai me dar um celular, vou me livrar do meu tijolo. Meu pai me dá um celular e minha mãe me dá uma rede, hehehehehehehe...
- Rede? Ehiehieheihie.
- Sim. Ela me deu uma rede.
- Rede de dormir? Por que? Faz mal pra coluna, heiheihei.
- Sim. Ou, rede é legal. É emocionante. Só que eu não tenho armador no quarto e ficar na rede no terraço não rola, todo mundo que passar na rua te vê. Ah, Thiago me deu um CD de Nina Simone.
- Odeio tanto o meu computador, mas tanto, tanto!
- Tua mãe acabou de ligar, heheheh.
- Coitada, ela é carente.
- Ou.
- Me liga mil vezes. E eu tenho sempre que ter algo pra falar...
- Ela disse que Tânia queria me dar um presente...
- ... se não é porque não a amo mais. Por que ninguém me dá um presente? Heiheiehiehiehiehie. Aaaah, quero meu apartamento, um iPod e um computador novo. Acho que vou vender meu corpo. Pensa bem.
- Heueuheuehuehueh.
- Já acham que eu sou maluca, maluca e meia e ganhando dinheiro é vantagem, ehehehehe.
- Já vou, doidona.
- Ham? Doidona? Tá maluca?
- hUAhAhuHAuHUAhUAhuHA! Pô, eu sou uma pessoa antiga.
- Heiehiehiehiehie. Das antigas, doido.
- Não conheço as gírias novas da parada. hahhauHUaUAUAUHAUhA.
- É isso aí, bacana, ein? Mas tu vai pra onde?
- Do balacobaco. Sair. Meus braços estão doendo, acho que vou ver um filme.
- Eu hein, que falta do que fazer, ehiehiehiehiehie. Aposto que você já sabe o final. O meio e o início.
- Pia. Esse povo que faz cinema... Pra início de conversa eu nem sei que filme vou assistir, hehehehe.
- Eheiheiehiehieheihie. Tudo bem, então pega de olhos bem fechados.
- Só porque eu gosto de adivinhar os filmes.
- Eu entro em sebo assim agora, ehehehehhehe.
- Eita, hUAhUAhuahUHAuHA. Já deu em muita merda?
- Não, eheheiheiehiehie. Eu vou nas sessões que me interessam, hehehehehe. Vou começar a ler "Trópico de Câncer" de Henry Miller, o equatoriano disse que eu tinha um estilo parecido com o dele, fiquei tão feliz, ehieheiheiheiheie.
- Heuehuehueh. Eita. Tu sabe que Caio disse que eu fazia stream of consciousness naquele texto sobre a gente, né? Eu me caguei todinha. Sou a nova Virgina Woolf, hUahUAhHauHA.
- Que porra é isso? Sou ignorante, ehiehieheiheie.
- É uma característima dela e de Joyce. Deixa eu ver se tem falando aqui nomeu livro pra te dar uma esplicação mais certeira.
- Esplicação...
- Eita porra. Caralho. Que erro horroroso!
- Liga não, ehieheiheiheiehiehieheihie. É que eu sou nerd agora e reparo nessas coisas.
- Eu tô com essa mania feia agora. Não, eu também reparo! Sou chata que só a porra com isso, mas tô com mania de errar coisas que eu sei, como se não fosse suficiente errar as que não sei.
- Ehiehiehieheiheiheiehiehie. Eu também faço isso, beibe. É o normal, é o que acontece com seres dementes, hihihi. O que te incomodou na minha narrativa no conto? Nathalia disse "gostei, mas acho que você poderia melhorar algumas coisas na narrativa". Será que só quem vai gostar é você e Soromenho? Hieheiheiheiehiehi.
- Eheuehuehuehueh. Acho que só os erros gramaticais me incomodaram mesmo.
- Tanto assim? Hieheiheiheihe.
- Não.
- Me dê uma "esplicação", ho ho ho.
- Mas como disse, sou chata.
- Eu sou má.
- Tá masas. Caralho. Tá massa. Se prepare.
- Heiheiehiehieheiheie.
- Sim, mas continuando.
- Tô morrendo de rir aqui, professora de português. Fala.
- Não tem no livro. Mas seria mais ou menos os pensamentos dos personagens misturados no meio da narrativa, entende?
- Qual foi o texto?
- Aquele em inglês (dã) que eu postei no "Babados & Firulas".
- Tia Virginia era frígida, ho ho ho. Mas tudo bem, você não é. Tá, tudo bem então. Ehehehehehe.
- Eu sou. Hohohohoh. Ainda não tive um orgasmo com um homem esse ano. Tudo bem que falando assim parece mais que eu sou "lébsca", eheeheheh.
- Teve consigo mesma?
- Tive.

Nenhum comentário: